Instruções para realizar a matrícula no sistema (1-2016).

Informações sobre o curso

Versão em PDF.

O presente documento apresenta orientações complementares de matrícula para potencializar o tempo e o rendimento do acadêmico no curso de Tecnologia em Sistemas para Internet. Assim, não contradiz qualquer regulamento vigente, trazendo apenas esclarecimentos e sugestões úteis conforme o entendimento do corpo docente do curso. As decisões do acadêmico, amparadas por regulamentos, ainda prevalecem. Entretanto, possibilita-se maior consciência e responsabilidade ao acadêmico frente às escolhas realizadas. O material foi desenvolvido com a participação de todo o corpo docente do curso.

A orientação de matrícula procura auxiliar na escolha das disciplinas a serem cursadas pelo acadêmico. Para isso, foram desenvolvidos dois materiais suplementares, com utilização explicada na sequência:

  1. Matriz curricular detalhada em trilhas de conhecimento e capacidades requeridas; e
  2. Matriz curricular resumida em conteúdos abordados.

Matriz Curricular Detalhada em Trilhas de Conhecimento e Capacidades Requeridas

Consiste em um diagrama que representa a dependência de capacidades entre as disciplinas do curso.

Trilhas de Conhecimento

As disciplinas são agrupadas em trilhas de conhecimento que expressam a afinidade de áreas na Matriz Curricular do curso. Disciplinas pertencentes a uma mesma trilha, possuem cores iguais no diagrama. Tem-se as seguintes trilhas:

  1. Humanidades e Letras;
  2. Matemáticas;
  3. Gestão;
  4. Programação de Computadores;
  5. Arquitetura de Computadores e Sistemas Operacionais;
  6. Desenvolvimento Web e Dispositivos Móveis;
  7. Banco de Dados;
  8. Programação Orientada a Objetos;
  9. Redes de Computadores;
  10. Engenharia de Software e Interação Humano-Computador;
  11. Trabalho de Conclusão de Curso;
  12. Optativas.

Por exemplo, a trilha de Programação de Computadores, reúne as seguintes disciplinas:

  1. Algoritmos (1º Período);
  2. Linguagem de Programação (1º Período);
  3. Estrutura de Dados 1 (2º Período); e
  4. Estrutura de Dados 2 (4º Período).

Capacidades Requeridas

Embora o curso de Tecnologia em Sistemas para Internet, conforme regulamento, não possua pré-requisitos de disciplinas (exceto na trilha denominada Trabalho de Conclusão de Curso), é importante considerar as capacidades necessárias para o progresso na Matriz Curricular. Assim, uma disciplina que requeira capacidades desenvolvidas em outra anterior tem a dependência identificada, no diagrama, por uma seta sólida. Implica, portanto, que há poucas chances de sucesso na segunda disciplina sem as capacidades desenvolvidas na primeira. É importante destacar que a perspectiva não diz respeito, necessariamente, à aprovação, mas aos conhecimentos adquiridos.

Pode-se tomar como exemplo a própria trilha de Programação de Computadores. As disciplinas de Algoritmos e Linguagem de Programação (ambas do 1º Período) desenvolvem capacidades necessárias para Estrutura de Dados 1 (2º Período). Por sua vez, esta última faz o mesmo para Estrutura de Dados 2 (4º Período). Convém observar, no exemplo, que Algoritmos e Linguagem de Programação, situadas no mesmo período, possuem capacidades mutuamente requeridas. Isso também ocorre com as disciplinas de Linguagem Visual (agora, em nova abordagem) e Programação para Internet I, ambas do 2º Período, pertencentes à trilha de Desenvolvimento Web e Dispositivos Móveis.

Esclarece-se que apenas os relacionamentos cruciais foram demarcados. Nada impede que uma disciplina se remeta livremente a um conteúdo (ou capacidade) abordado em qualquer período anterior ou, ainda, naquele atual.

Capacidades Desejadas

Representam um nível de dependência mais leve do que aqueles identificados como capacidades requeridas (por isso da seta tracejada no diagrama). Remetem-se, portanto, a conteúdos abordados em uma primeira disciplina que apenas beneficiam o andamento de outras, geralmente não impedindo o respectivo progresso. Com isso, cursar uma disciplina sem dispor das capacidades desejadas implica um caminho pouco mais penoso, todavia, praticável e possível.

Como exemplo, pode-se citar que as capacidades desenvolvidas na disciplina de Linguagem de Programação (1º Período) facilitam o progresso em Programação para Internet 1 (2º Período). Contudo, não é incomum ter êxito na segunda disciplina sem ter desenvolvido todas as capacidades da primeira. Situação semelhante ocorre em Redes de Computadores (3º Período), que se beneficia de capacidades desenvolvidas em Sistemas Operacionais (2º Período).

Dessa forma, as capacidades desejadas modelam o cenário ideal e que também representa a naturalidade no cumprimento da Matriz Curricular do curso. Convém levá-las em consideração na escolha exclusiva entre uma disciplina e outra.

Outras Unidades Curriculares

No mesmo diagrama, também são estacadas informações sobre as unidades curriculares abaixo detalhadas.

Atividades Complementares

Regida por regulamento, compreende uma carga horária de 180 h/a extraclasse. Trata-se de um requisito suave de ser cumprido, caso as atividades sejam realizadas gradativamente desde o 1º Período. Do contrário, a tabela de pontuação vigente não privilegia a falta de planejamento e o acúmulo na realização das atividades. Aconselha-se que as Atividades Complementares sejam validadas até o final do 5o Período.

Estágio Não Obrigatório

Não é compreendido pela Matriz Curricular do curso, entretanto pode ser validado como uma atividade complementar. Dentre outras exigências, expressas em regulamento, o acadêmico deve estar matriculado, no mínimo, no 2º Período e possuir coeficiente de rendimento igual ou maior que 0,5. Recomenda-se optar pelo Estágio Obrigatório tão antes quanto possível. Observe que a instituição dispõe do Programa de Auxílio Estudantil (antiga Bolsa Permanência ao Estudante) para que as disciplinas regulares sejam priorizadas, ao invés do Estágio Não Obrigatório, pelo acadêmico.

Estágio Obrigatório

Com carga horária de 400 h/a, deve ser executado estritamente conforme o regulamento. Sugere-se realizá-lo e defendê-lo no 3º ou 4º períodos, para evitar sombreamento com as atividades correspondentes ao Trabalho de Conclusão de Curso.

Trabalho de Conclusão de Curso

Também regido por regulamento e normas próprios, compreende a elaboração e o desenvolvimento de um projeto de pesquisa relevante na área do curso. Na Matriz Curricular, corresponde às disciplinas de Trabalho de Conclusão de Curso 1 e 2, ofertadas, respectivamente, no 5º e 6º períodos. A disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso 2 não fixa carga horária no período regular noturno.

Optativas

Atualmente ofertadas por meio das disciplinas de Libras 1 e 2, presentes no 4º e 5º períodos. Não integralizam a carga horária total prevista no curso.

Matriz Curricular Resumida em Conteúdos Abordados

Trata-se de uma representação acessível e descomplicada da matriz curricular. Adicionalmente, foram incorporados resumos (em, no máximo, cinco tópicos) do conteúdo programático de cada disciplina. Espera-se, desse modo, subsidiar o acadêmico com uma visão geral do curso e facilitar o processo de decisão, entre disciplinas, sem a necessidade de consultar (e interpretar) a ementa de cada unidade curricular.

Em aspecto mais amplo, a representação também antecipa ao acadêmico quais conteúdos esperar de cada disciplina, bem como a evolução desse conhecimento em conjunto com as trilhas do diagrama anterior.

Como Utilizar o Material na Matrícula

Como caráter de sugestão do corpo docente, em respectiva ordem:

  1. Priorize as disciplinas:
    1. para as quais você já possua as capacidades requeridas;
    2. alocadas nos primeiros períodos;
    3. que possuem turmas de dependência ofertadas no semestre corrente (isso é sazonal);
    4. para as quais você já possua as capacidades desejadas;
  2. Considere que um menor número de atividades pode garantir maior controle e chance de aprovação, principalmente se você já teve dificuldade anterior nelas;
  3. Tenha cautela com o acúmulo de dependências para iniciar qualquer modalidade de Estágio ou realizar o Trabalho de Conclusão de Curso;
  4. O Estágio Não Obrigatório é uma atividade ausente na Matriz Curricular. Sob essa perspectiva, diante do possível, priorize as disciplinas do curso frente a essa modalidade de Estágio;
  5. Procure não sombrear o Estágio Obrigatório com o Trabalho de Conclusão de Curso.

Recursos Adicionais

Ainda na busca de otimizar o tempo e o esforço dos acadêmicos no curso, dispõem-se dos seguintes recursos adicionais:

Disciplinas Sem Presença Obrigatória

Possibilidade destinada aos acadêmicos anteriormente reprovados na disciplina, entretanto com nota final igual ou superior a 4,0 e com frequência mínima de 75%. A disciplina segue com Plano de Ensino próprio e as avaliações serão realizadas junto à disciplina regular (mãe). Por conta disto, é necessária a disponibilidade do acadêmico no horário da disciplina mãe. Também é opção do acadêmico participar presencialmente das aulas quando considerar necessário.

O pedido da abertura de uma disciplina na modalidade sem presença obrigatória deve ser feito diretamente ao docente da disciplina regular. A possibilidade será avaliada levando em consideração, principalmente, a maneira com que a disciplina é conduzida quanto à didática e às avaliações.

Destaca-se, por fim, que o acadêmico poderá cursar somente uma vez cada disciplina na condição sem presença obrigatória. Além disso, há o limite máximo, para o acadêmico, de duas disciplinas, nessa modalidade, em um mesmo semestre.

Disciplinas Semipresenciais

Destinadas aos acadêmicos anteriormente reprovados apenas por nota (não por frequência) na disciplina. Conforme repassado pela DIRGRAD, são disciplinas que garantem liberdade de horários por meio de videoaulas preparadas por docentes da UTFPR. Conta-se também com auxílio de professores e monitores em horários estabelecidos.

Para acadêmicos de Tecnologia em Sistemas para Internet, é possível cursar a disciplina semipresencial de Cálculo Diferencial e Integral 1, em equivalência à Fundamentos Matemáticos da Computação. Adverte-se que a ementa da disciplina semipresencial excede os conteúdos de Fundamentos Matemáticos da Computação, entretanto o acadêmico deve cumpri-la na totalidade.

São conteúdos de Cálculo Diferencial e Integral 1 ausentes em Fundamentos Matemáticos da Computação:

  • Estudo dos números reais;
  • Plano cartesiano ortogonal;
  • Desigualdade envolvendo módulo;
  • Equação da reta tangente e reta normal;
  • Volume de um sólido;
  • Comprimento de arco de uma curva;
  • Valor médio de uma função;
  • Aplicações na física: o movimento retilíneo, trabalho.

Além disso, o tópico Softwares Matemáticos, visto em Fundamentos Matemáticos da Computação, não é abordado em Cálculo Diferencial e Integral 1.

Cálculo Zero

Curso de extensão, lecionado nas primeiras semanas do 1º Período, que revisa conteúdos do Ensino Médio requisitados na trilha de Matemática.

Palestras Semestrais

São previstas palestras semestrais, para todo o curso, sobre os temas de: Atividades Complementares, Estágio e Trabalho de Conclusão de Curso.

Considerações Finais

A orientação de matrícula apresentada é um conteúdo experimental desenvolvido pelos docentes da Coordenação do Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet. O objetivo principal deste trabalho residiu em amparar o processo de escolha do acadêmico para que se tenha melhor proveito do seu tempo no curso. Espera-se o retorno dos discentes para aprimorá-lo.